Nowtrip
Travel diary Travel Diary Vietname

Um cheirinho de Vietname

Tenho andado desaparecida e a verdade é que já estou pelo Vietname desde 18 de fevereiro. O plano para as duas primeiras semanas no Vietname é voluntariado e é isso mesmo que me tem mantido tão ocupada. Estou a ensinar inglês em workshops que misturam ciência, cultura geral, cozinha e teatro. Mas adiante, falarei tudo sobre esta experiência na próxima vez que vos escrever.

Agora é tempo de falar sobre esta cidade que não pára. Cheguei dia 18 de fevereiro e o voluntariado só começou dia 21 por isso tive 3 dias para descobrir alguns dos principais locais.

Depois de 2 aviões estava em Hanói, cheguei já de noite e à minha espera tinha o táxi (que tinha pedido ao hostel e que acabou por ser de borla, o hotel esqueceu-se de me cobrar, que deus me perdoe por não os ter relembrado. Ainda eram 18€, perdoem-me vocês também) que me levou ao hostel. O aeroporto ainda fica longe do centro da cidade, o Old Quarter, cerca de 30 km.

A primeira impressão do hostel foi “onde me vim meter??” quando o taxista me deixou à porta demorei a perceber que o hostel era ali, naquele sítio que parecia um bar. Avancei receosa, será que é mesmo aqui?! E era. Escolhi este hostel porque a localização era perfeita, tinha pequeno-almoço incluído e tudo por 5 euros por noite.

O Chien Hostel acabou por se revelar uma boa escolha, tanto que voltei a ficar lá uma noite quando tive as minhas folgas. Apesar de ter ficado, das duas vezes, num quarto para v-i-n-t-e pessoas tudo correu muito bem, só uns 5 ressonavam.

Nos três primeiros dias dei umas voltas apenas pelo centro da cidade, visitei uma antiga prisão (que está transformada num género de museu), o templo da leitura (estava a decorrer uma cerimónia de graduação de uma escola), o night market e um lago enorme mesmo no centro de tudo. O lago tem duas ilhas e aos domingos toda a gente está lá, quer seja para passear, descansar ou praticar exercício físico. Aqui eles fazem imenso desporto, todas as manhãs por volta das 6h30/7h já está imensa gente nos jardins pronta para começar a mexer o corpinho.

A cidade tem vida de dia ou de noite. De dia é o caos, quando digo o caos quero dizer o maior caos que já vi. O trânsito é de fugir, parar é morrer, ou melhor, ser atropelada. Aqui há semáforos e passadeiras mas é do género “who cares?”. Não vale hesitar, se já puseste o pé na estrada o melhor é nem parar, segue segue e reza para que a próxima paragem não seja no hospital. Se achava que a Tailândia tinha muitas motas aqui é 10 vezes pior. O caos, já referi isto?!

Na rua há restaurantes porta sim porta sim. E agências para tour porta sim porta não. Portanto aqui tudo gira à volta de comida e passeios. E por falar em tour, nos meus dois dias de folga (segunda e terça) fui a Halong Bay e a Ninh Binh.

Segunda-feira (27) às 6h45 da manhã estava a sair de casa para ir apanhar o bus para Halong Bay. A casa onde estou ainda fica a 9 km do Old Quarter por isso ir a pé estava fora de questão, optei por chamar um uber moto e que me custou cerca de 0,70€. Às 8h30 estava a sair de Hanói com destino a Halong Bay, a viagem durou cerca de 4 horas e foi difícil, o autocarro era pequeno e o espaço entre os bancos era mínimo. Mas tudo se faz e com Netflix ainda se faz melhor (vi só 6 episódios de Suits na viagem de ida e volta).

Halong Bay é lindo. Halong Bay vale a pena nem que seja por um dia. Há a opção de dormir no barco mas como isto anda apertado de finanças e já tinha nos planos ir a Ninh Binh no dia seguinte, optei por uma tour só de um dia. Almocei num barco enquanto passava entre as ilhas, visitei uma das melhores grutas que alguma vez vi e andei num pequeno barco por outras duas grutas. Apesar da viagem ter sido dura, 8 horas no total, valeu cada minuto lá passado. Cheguei a Hanói às 21h30 e optei por ficar no mesmo hostel, não valia a pena ir a casa e voltar no dia a seguir às 7h da manhã. Esta viagem de um dia custou-me cerca de 30€ com tudo incluído.

Terça-feira foi dia de Ninh Binh, uma pequena cidade a 2 horas de autocarro de Hanói (cerca de 12€). Fui por indicação de um amigo e adorei. O pior mesmo foi não ter tido mais tempo por lá. Cheguei por volta das 11h e às 16h já estava a preparar-me para voltar. Durante hora meia andei de barco entre ilhas, montanhas e grutas, um sítio especial. Muitos dos locais têm a sua plantação no rio, ali mesmo onde todos os dias se passeiam centenas de turistas. Mistura-se o rendimento do turismo com o rendimento da natureza. O passeio de barco custa cerca de 8€ se forem 2 a 3 pessoas no mesmo barco, no meu caso como ando “sozinha por ai” o preço era diferente. Para quem quer fazer o passeio sozinho o custo é de 12€. Mas aqui a minha pessoa é portuguezinha e poupa todos os cêntimos, bora lá colar-me a alguém que me aceite no barco, acabei por fazer o passeio com duas raparigas da República Checa e paguei apenas os 8€.

Por volta das 13h30 estava de volta e ainda tinha 2 horas e pouco para aproveitar. Antes de ir para Ninh Binh passou-me pela cabeça alugar uma mota mas depois mudei de ideias, achava que não era capaz. No entanto vi-me com pouco tempo e não queria ficar à espera do autocarro sem fazer nada. Decidi arriscar e aqui vai ela alugar uma mota. Garantiram-me que o caminho era sempre em frente, acreditei e estavam certos.

Arrisco-me a dizer que alugar a mota foi uma das coisas que mais gostei até agora, a liberdade de estar a conduzir e a fazer o queria foi maravilhosa. Visitei a Pagoda (um templo entre as rochas e grutas) mas não tive tempo de visitar as caves, restavam-me apenas 30 minutos. Depois de visitar a Pagoda o plano era voltar para a cidade (5 km) mas decidi aventurar-me noutra estrada. Afinal não devia de ser mau, estava só no meio de nenhures no Vietname de mota e sozinha.  Foi só a melhor decisão, andei por entre campos de cultivo e locais não turísticos. Ninh Binh foi uma lufada de ar fresco entre a alucinante capital de Hanói.

Agora estou e vou continuar por Hanói, no voluntariado, até dia 6. Depois sigo para o sul do país, vou fazer a costa durante dez dias até Ho Chi Minh City. Até lá continuo por aqui a (tentar) ensinar inglês a crianças vietnamitas (saberão tudo sobre esta aventura muito brevemente).

Bye bye (:

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply